Fratura por Estresse – Saiba quais são as Causas e tratamento

FRATURA POR ESTRESSE – SAIBA QUAIS SÃO AS CAUSAS E TRATAMENTO

Fratura por Estresse – Causas e tratamento

 

FRATURA POR ESTRESSE – SAIBA QUAIS SÃO AS CAUSAS E TRATAMENTOA fratura por estresse vem aumentando sua incidência na população em geral, embora esteja associada mais frequentemente à atletas de alta performance. No Brasil atual, observamos um aumento na prática de atividades físicas na população como um todo, um bom exemplo são os corredores de rua. Porém os atletas profissionais ainda são as maiores vítimas deste tipo de problema, sendo os que mais sofrem com os efeitos de uma cirurgia, já que a recuperação pode ser longa e exigir pausas em suas atividades. Neste artigo, iremos explicar como ocorre a fratura por estresse e quais são os principais tratamentos disponíveis. Confira!

 

 

Causas da Fratura por Estresse – Quais são as mais comuns?

 

Como o próprio nome indica, a fratura por estresse é causada por um conjunto pequenas lesões que ocorrem devido ao impacto frequente nos ossos. Isso gera um “estresse” na região que, com esse estimulo repetitivo acaba gerando uma fratura no osso acometido. Esse tipo de problema acontece com maior frequência nos ossos de sustentação, como das pernas e dos pés e são mais comuns em mulheres do que em homens. Como dito acima, mais frequente nos atletas de alta performance. Mas existem outros fatores que podem causar a fratura por estresse, que vão além do exercício físico. São eles:

– Alguns estudos indicam que a falta de nutrientes como a vitamina D pode gerar mais “sensibilidade” nos ossos, ficando mais propensos à fratura por estresse.

Osteopenia e osteoporose também podem estar associadas a esse tipo de fratura.

– O mais comum, é o exercício físico intenso de início repentino, ou seja, sem que haja tempo suficiente para os ossos se acostumarem com o novo estilo de vida. É por esse motivo que muitas pessoas têm relatado esse tipo de fratura, devido ao fato de iniciarem atividades de alta intensidade sem um preparo prévio, pois antes eram sedentários.

– Por fim, precisamos lembrar que a fadiga muscular é uma das principais causadoras da fratura por estresse, pois sem a proteção do músculo, os ossos se tornam mais suscetíveis ao problema. É essencial que haja um tempo de repouso entre um exercício e outro, evitando que haja a fadiga muscular e diminuindo o risco de lesões durante os esportes.

 

Riscos da Fratura por estresse

 

Podemos classificar as fraturas por estresse em duas formas: as de alto risco e as de baixo risco. As que são consideradas de alto risco costumam ser localizadas nas zonas de tensão do osso. Esse tipo de fratura tem um prognóstico ruim logo no início. Já as de baixo risco são que estão localizadas em zonas de compressão do osso. Estas possuem um melhor prognóstico.

 

 Como descobrir a fratura?

 

Esse tipo de fratura tem sintomas bem típicos e intensos, como dores generalizadas no membro acometido e dor ao pisar. Geralmente a dor aumenta conforme a atividade física, também fica mais intensa e melhora quando há o repouso. É possível que haja forte dor ao tocar o membro fraturado, outros sintomas como equimose ou rouxidao da pele são incomuns. Se houver qualquer tipo de dor durante os exercícios, o atleta deve procurar imediatamente auxílio médico, para que o quadro não se agrave de forma que torne o tratamento muito mais complexo e delicado.

 

Diagnóstico – Como saber que se trata de uma fratura por estresse?

 

O tipo de tratamento é bastante diferenciado de acordo com o tipo da fratura, ou seja, se ela é de baixo ou alto risco. Em geral, o tratamento mais comum é o conservador, onde o repouso é indicado, muitas vezes sem a necessidade de imobilização. Esse repouso é importante para que sejam evitadas novas lesões ou complicações extras.
Já nas fraturas de alto risco, a imobilização pode ser imediata e essencial para evitar que problema piore. Se a dor for muito intensa, pode ser preciso receitar analgésicos ou remédios específicos para tratar o local. Em último caso, recomenda-se a cirurgia.
Atletas que precisam voltar aos treinos rapidamente podem precisar de outro tipo de alternativa para tentativa de melhora mais rapidamente, como o uso de uma cinta pneumática, que em alguns estudos demonstraram uma recuperação mais rápida dessa lesao.

 

Cuidados para evitar a fratura por estresse

 

Como foi dito ao longo deste artigo, o exercício intenso de repetição sem o devido acompanhamento ou mesmo o aumento repentino de força aplicada nos músculos pode gerar a fratura por estresse. Por isso, é importante ter cuidado na hora de realizar atividades físicas e se atentar aos sinais claros que o corpo dá em relação à sobrecargas desnecessárias. De uma forma geral, o tratamento é simples, mas em alguns casos pode gerar problemas maiores e até mesmo ser necessário cirurgia. Por este motivo, é essencial que haja cuidado e que o corpo se mantenha sempre em um ritmo constante de exercícios, sempre acompanhado de um profissional.

 

CONTATO

Para agendar sua consulta preencha o formulário abaixo e entraremos em contato dentro de 1 dia útil.

Posted on 26 de outubro de 2017 in Lesões

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top